domingo, 28 de agosto de 2011

Tantas vezes eu já sorri

As palavras custam a sair,
Nem sempre encontro o melhor termo,
Nem sempre escolho o melhor modo,
Pensei que se falasse era fácil de entender,
Para resolver o meu problema de expressão,
Não digo o que estou a sentir,
Não sei porquê este embaraço,
Quando os teus olhos me ignoram,
Passo por ti, tu nem me vês,
O teu mundo está tão perto do meu,
Transforma minha tristeza em ouro precioso,
Toca as minhas lágrimas com seus lábios,
No meu mundo está na ponta dos teus dedos,
Porque nunca é tarde,
Para alguém sonhar,
Eu só queria poder acordar,
Num sonho teu,
Que eu quero dizer-te,
Sei lá eu o que quero dizer,
E o que digo está tão longe,
E é tão difícil dizer amor,
E mesmo quer que sejamos mais do que amigos,
Eu sei que queres tentar… eu também,
Podes dizer que é um sonho meu,
Mas os sonhos não deveriam se realizar?
Qual o caminho que irá dar,
A esse teu mundo onde eu queria entrar?
Tantas vezes eu já sorri
À espera de um gesto... de um sinal
À procura de um toque... de um olhar
Tentando saber se algum dia os nossos mundos se irão cruzar...
Vem esta noite…

2 comentários:

ana costa disse...

Olá lobo, o artigo "O mundo do faz de conta" por ser tão cruelmente verdadeiro, deixou-me curiosa com a tua escrita e vim lê-la.
Gostei

Cute disse...

Tornar um sonho em realidade é maravilhoso...

Cute