terça-feira, 25 de janeiro de 2011

(eu não sei esperar)

A Noite cai...
O escuro vem como cinzas de carvão
Os meus sentidos não fazem sentido
A imaginação
Leva-me à lugares em que nunca estive antes
Não sei se é a nossa amizade
Que cobre os teus olhos
Evitando ver o meu amor
Não consigo tocar no teu coração
Procuro coragem para dizer que te amo
Mas não consigo quando tento
Não acreditas…
(brincas)
Aquele olhar que toca
Sob a máscara da mulher muito ocupada
Bem sucedida na solidão
Seus anseios profundos
Seus desejos secretos de mulher
Fantasias, gemidos, encontros passageiros, sensuais
Rituais sagrados de puro prazer
Se eu pudesse te beijar
Te abraçar como me apetece
Para libertar este amor tímido do meu coração
É muito fácil de explicar difícil de acreditar
A profundeza deste olhar
É o sol que queima através da raiva da lua


Esta tão quente aqui
Respira em mim
Apenas respira em mim
Não precisamos nos tocar
Apenas respira...
Apenas junta os teus lábios...
(sussurros)
Ohh… está tão quente, e eu preciso de ar
Nem que o vento sopre enquanto a chuva cai
E leve para longe este sonho
Eu só quero tocar nas tuas mãos
Te ter mais perto de mim
Sentir o teu abraço que me envolve sem fim
Ao cair da noite sinto-me abandonado
Não tenho a solução
Na porta entre aberta
A minha saudade aperta
Uma vez mais na cama da solidão
Nas noites e noites a fio
No abandono vazio do lugar da tua ausência
Esgotei a minha dor e perdi a paciência

4 comentários:

fernanda disse...

belo.... parabéns!!!

Maria disse...

Simplesmente maravilhoso...
Continua escrevendo. Eu continuarei lendo.
Parabéns!

Saphira disse...

Demais...

Sensual e delicado

** ;)

Pensamentos disse...

Muito bom, é isso que me cativa nos lobos. Pude perceber algumas semelhanças escassas com o meu blog.